terça-feira, 19 de novembro de 2013

Últimos momentos de mais um ciclo.

Hoje, enfim, é meu último dia na Chapada, amanhã de manhã estou partindo rumo à Brasília pra pegar meu voo. É, passou rápido esses cinco meses. Parece que foi ontem que saía de Floripa aquela menininha morrendo de medo do que vinha pela frente, com medo de deixar sua família, seus amigos, sem saber o que esperar, mas não me arrependo nenhum pouco, uma das coisas que aprendi é que a vida é um eterno exercício de aprender a abrir mão, só assim para se receber de volta. Muitas vezes chorei com saudade de casa, querendo o colo da minha mãe, só quando estamos longe da família para perceber o quanto eles são importantes e o quanto eu não dava valor, mas aguentei, pois era o que me restava. Passei alguns perrengues, mas poucos, mesmo quando era para eu ter ficado sem ter pra onde ir, Deus não deixou me faltar o necessário. Me vi, pela primeira vez, em meio à outra cultura totalmente diferente. Conheci lugares lindos, puros, com uma beleza divina. Passei calor para caramba e por incrível que pareça, comecei a dar mais valor para a chuva. Conheci bastante gente, mas amigos mesmo, fiz dois que espero levar pro resto da vida. Compreendi muito mais a importância da criação dos pais, pois é nessas horas que a gente põe nosso caráter em prova. Eu, que era tão preocupada com a imagem, por mais que não admita muitas vezes, estou levando uma cicatriz no rosto de lembrança, para aprender que essa tal "imagem" é frágil e se perde, tanto agora, com um tombo de skate, como daqui há quarenta anos, com a velhice. Meditei, pensei, compreendi melhor as coisas espirituais, entendi que se eu me agarrar a meus medos, preocupações e egoísmo, não vou ver o lado bom da vida, que é o amor, por mais piegas que isso seja, é a mais pura verdade, falta amor nesse mundo para ajudar a si mesmo e para ajudar ao outro. Senti menos falta do mar do que achei que iria sentir. Andei muito pelo mato. Comi pequi, cupuaçu, mangaba. Vi emas e seriemas, vi araras de cores lindas! Aprendi a cozinhar na marra, aprendi a dirigir, aprendi algumas músicas no violão, tudo isso graças ao Rondon. Estou inscrita na faculdade para cursar Biologia que, se eu fizer vou ter que voltar para cá ano que vem, talvez não seja um tchau definitivo. Enfim, sinto que cresci muito nesse meio tempo, vou voltar e enxergar Florianópolis com outros olhos. Mas ainda falta muito para crescer, porém saio daqui mais ciente de aonde estou errando e do que devo corrigir. Essa viagem só me instigou ainda mais a viajar, há tanto lugares nesse Brasil continental, cada estado é um mundo à parte! Estou voltando para minha terrinha feliz da vida de rever todo mundo e de poder sentar nas dunas do Campeche e olhar o mar, mas ao mesmo tempo não quero parar por lá e não vou. Por hora o blog fica encerrado com suas poucas postagens, mas muitas lembranças que me dão um calorzinho no peito, e só tenho a agradecer por essa experiência. É isso, então até breve!


Nenhum comentário:

Postar um comentário